Show de Destaques, Ofertas e Notícias!!!

Os grandes navegadores devem sua reputação aos temporais e tempestades. - Epicuro





Publicidade





Publicidade



23/05/2017 10:22:53





Publicidade







Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Nesta segunda-feira (22), o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, reforçou  a necessidade de o Brasil avançar com a agenda das reformas econômicas. Segundo ele, já foram mostrados “resultados positivos” diante da mudança de direção da política econômica para o “caminho correto” no último ano.

“A política econômica doméstica mudou de direção há um ano, e as reformas implementadas neste curto período mostraram resultados positivos. Por isso a importância de se continuar no caminho correto, a despeito do aumento da incerteza política”, frisou o dirigente da autoridade monetária, durante o evento 2017 Leadership Forum, em São Paulo.

Durante o discurso, Goldfajn ressaltou que a economia brasileira possui amortecedores “robustos” para enfrentar choques internos e externos. Ele destacou que o Banco Central vem agindo de forma “serena” e atuará sempre que necessário para garantir a funcionalidade dos mercados.

O presidente do Banco Central citou, ainda, a redução do déficit das transações correntes e os investimentos diretos no País como sinais de que a economia brasileira está preparada para enfrentar choques domésticos. Goldfajn também reforçou o regime de câmbio flutuante como importante ferramente para combater momentos de volatilidade.

“Nosso estoque de reservas internacionais ultrapassa US$ 370 bilhões, aproximadamente 20% do Produto Interno Bruto (PIB). Esse colchão funciona como um seguro em momentos turbulentos do mercado”, lembrou.

Confiança

Um dos principais efeitos das reformas, a retomada da credibilidade dos agentes econômicos vem aumentando de forma consistente nos últimos meses.

De acordo com Goldfajn, o risco Brasil, medido pelo Credit Default Swap (CDS), caiu de 500 pontos no início de 2016 para 247 pontos, apesar das incertezas, “uma evidência de que a recuperação dos fundamentos econômicos leva a maior confiança dos investidores externos”, salientou. 

Fonte: Portal Brasil, com informações do Banco Central












Indique esta Notícia para seus Amigos:





Publicidade




Publicidade